Ponham bem os olhos no vírus “chinês”

A China tInha no dia 18 de outubro 90.955 casos de infeção, 4.739 mortos e 421 casos ativos, sendo a população mil milhões quatrocentos e dois mil e quinhentos e nove habitantes; os EUA 8.140.728 casos, 219.599 mortos e 4.700.425 casos ativos, sendo a população 329.634.908; Portugal 99.911 casos, 2.181mortos e 38.730 ativos e a população 10.276.617.

É brutal a diferença entre a capacidade da China de fazer frente à pandemia, reduzindo-a a uma insignificância e os EUA, o país mais rico e poderoso do mundo, que também acabou por ganhar a liderança na incapacidade de combater o vírus, apesar de toda a capacidade científica instalada, sobretudo nas mãos das transnacionais e centros universitários privados.

A capacidade de um Estado proteger a saúde dos seus cidadãos é seguramente um fator de relevo para a sua apreciação interna e também externa.

Quando o mundo acorda todos os dias atordoado pela capacidade destrutiva do vírus espalhando-se assustadoramente, e não se vê nos tempos que se aproximam como pará-lo, seria interessante dar maior atenção ao porquê da diferença abissal entre uma e outra situação.

Com todo o seu milenar modo de ser, os chineses recomeçaram a sua vida e estão de novo a crescer do ponto de vista económica, enquanto todo o resto do mundo levou um valente trambolhão, estando numa situação muito difícil, sobretudo, na Europa os países cuja divida era acentuada, como o caso de Portugal.

A população da China é cento e cinquenta vezes maior que Portugal e tem 421 casos ativos.

Independentemente do juízo de valor que cada um(a) possa fazer sobre o regime político no poder na China, a verdade é que aquele país tem dado (até agora) uma lição serena, sem se pôr em bicos em pé, de como debelar o vírus e proteger a sua população, mantendo a economia a funcionar em pleno e a crescer.

Contrasta com o destrambelhamento esquizofrénico da Administração Trump, incapaz de conter o vírus e de proteger a saúde da população, tendo até ao dia 18 quase 220.000 mortos.

Quando Trump envereda pelo caminho tortuoso e ridículo da curandice, apresentando a sua infeção (se é que a teve) como dádiva de Deus, há que pensar o que está a acontecer às instituições liberais daquele país para que das suas fragilidades surja uma criatura autocrática pronta para não aceitar os resultados eleitorais para tanto dando força a organizações de caráter fascista , racista e supremacista muito próximas do Ku Klux Lan.

Se não fosse um ignorante, e tivesse vergonha, respeitaria a comunidade científica ou era coerente até ao fim e embebedava-se de lixívia em vez de tomar (se é que tomou) Regeneron.

O mundo não está bem, já não estava, mas a pandemia tudo agravou. Parece valer a pena estudar o que a China está a fazer, tendo em conta os resultados, pelo menos até agora e atento os dados disponiveis.

https://www.publico.pt/2020/10/19/opiniao/opiniao/ponham-bem-olhos-virus-chines-1935877

2 pensamentos sobre “Ponham bem os olhos no vírus “chinês”

  1. Luís Miranda

    Concordo absolutamente!
    Quando se trata de problemas de saúde pública, não me importo absolutamente nada que o estado exerça as suas funções com autoritarismo.
    E os resultados mostram que eles procederam da maneira mais correta.
    LM

    Gostar

Deixe uma Resposta para Luís Miranda Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s