A luz de Vieira é igual à da raposa que não chegava às uvas – verde

Vieira, já se sabia, é dado a visões. A última foi ver o penta fugir-lhe às mãos, perdão, aos pés de um mexicano, de seu nome Hector Herrera. Anos antes teve uma visão da qual ainda hoje sofre efeitos devastadores, a fuga de Jesus para o outro lado da fronteira explosiva da segunda circular.
Ao que se viu e leu só faltou puxar o gatilho, tantos foram os processos em tribunal com muitos milhões de indemnização, dado que Vieira também, nessa altura, disse ter visto Jesus levar-lhe computadores com os métodos de treino vigentes no Seixal e que eram do SLB.
Foi uma visão que durou pouco tempo, pois para Vieira o que está à frente é o que conta e, ainda sem gabinete de crise, restabeleceu a amizade com um dos homens que o traiu daquele modo tão cruel.
No fundo, a luz de Vieira era esperar pelo regresso do catedrático das táticas. E assim não admira que fosse falando com o velho amigo/inimigo porque o que conta naquela sagrada instituição é o feeling do Presidente, o que aliás todos reverencialmente aceitam.
As horas de reunião que aprovaram a guia de marcha a Vitória não contam desde que Vieira tenha uma visão…Como ele habituou os seus subordinados da direção a ver à frente, todos lhe vão fornecendo óculos de ver ao longe para que saia um Jesus no caminho.
A insuspeita Bola de sexta dá conta de todos os pormenores da noite de quarta para quinta em que os dirigente benfiquistas ficaram a saber que a vinda para a Luz de Jesus custaria aos cofres do SLB vinte e cinco milhões de euros…o que o levou a voltar atrás e olhar para uma azinheira perdida no Seixal e ter outra visão – a da estabilidade.
Vieira vê muito além. É um predestinado. Ele está a ver a reconquista afundar-se e sem plano B, nem C, nem D porque tem sucessivas visões da luz que neste momento brilha na Europa e na invicta cidade do Porto. Esta é a luz que cega.
Vitória já há muito que não é o treinador do SLB; é o treinador de Vieira. As luzes que cada um vê ou pensa que vê tanto podem ser das que alumiam como das que cegam.
O que se não vê como normal num clube com a dimensão do SLB é como tanta gente qualificada se submete a estas visões de alguém capaz de fazer querer esquecer o que o seu Jesus fez ao Benfica, trocando-o pelo Sporting de Bruno de Carvalho, que apesar de o receber de braços abertos só viu campeonatos a fugirem-lhe.
Será que ele vê tão à frente que ainda não viu que o futebol da Arábia Saudita está muito, mas muito atrás do futebol de Portugal?
Talvez o mal não venha só das visões, mas provavelmente das realidades que o cercam, tantos são os processos em que é arguido.
Vieira é tão servilmente tratado que ninguém se ri quando diz que com a formação vai ser campeão europeu…e mais que…” se forem provados factos ilícitos nestes quinze anos demito-me”… como se fosse possível a um corrupto, face à lei, permanecer à frente do clube onde praticou atos de corrupção.
Esta última visão que Vieira relatou frente a tantas câmaras de televisão é como a visão da raposa que não chegava às uvas, verde, verde. Como podem os maduros do Benfica aceitá-la?

Anúncios

Um pensamento sobre “A luz de Vieira é igual à da raposa que não chegava às uvas – verde

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s