RELVAS, DURÃO, e Cª EM REDOR DE UM LIVRO NUMA AÇÃO DE PROPAGANDA DO OUSAR LUTAR OUSAR VENCER

Juntou-se a família quase toda. Faltou o azedado de Belém. E alguns ex-líderes a quem lhes entregaram o encargo de comentar aquilo em que chumbaram Na época dos exames pois nunca chegaram onde queriam: um nem sequer chegou à Câmara de Lisboa apesar do mergulho no Tejo com não sei quantos basbaques a mirarem o Professor, os outros perderam as eleições e nunca chegaram ao sonho que o Professor teve e que nunca se realizou.
Ao que se sabe o Sr Relvas nunca foi dado a escrever aquelas duas folhas de A4 onde se respondem às perguntas dos regentes das cadeiras…era mais para as equivalências a partir da sua larga experiência de funcionário do PSD sempre ao serviço do líder.
Ora é sabido que um homem que sabe estar onde está quem manda ganha a vida e carreira, seja na Tecnoforma, no Município de Tomar ou na Lusófona.
O que interessa é saber posicionar-se, aliás como quase todos aqueles Senhores que estavam na sala, desde o Marco António Costa até apresentador que se posicionou lindamente na guerra do Golfo, ele e o Dr Portas a quem os EUA lhes abriram os cofres onde escondidas estavam as armas de destruição massiva que só os amigos mais íntimos podiam ver.
Era uma caterva de gente bem posicionada para ouvir da boca do Sr Relvas um livro, ele que detestava preencher uma ou duas folhas de A4, encheu-se de brio e saiu-se com um livro sobre a Reforma Administrativa, sem mais, um livro.
O que os jornalistas apanharam daquele conclave foi a tirada fantástica de Durão Barroso sobre onde estaria Portugal se não fosse o Pedro Passos Coelho. Onde estaria? Não se sabe mas talvez como a Grécia a flutuar nos Balcãs e a Grécia viesse a ocupar o lugar de Portugal na Península Ibérica. Quem sabe? O mundo está cheio de surpresas.
Durão não foi tão longe no ditirambo à ação governativo como a Dra Maria Luís porque só ela e o Pedro devem ter as chaves dos cofres cheios e os gregos coitadinhos a deixarem de ser o 19º e nós sem aquele 19º ficamos 18. Ele disse que graças à determinação de Passos Portugal está bem. É o que ele diz. Já houve um ministro ou um líder parlamentar que não há muito tempo disse que Portugal estava bem e os portugueses mal.
Durão prosseguiu essa elevada técnica de fazer política que é a de chamar os jornalistas para um evento e a partir de um zero, que é um livro de que se não disse nada, em termos noticiosos, e lançar uma operação de propaganda a favor do governo. Durão continua forte na Informação e Propaganda.
Para que serve a família empreendedora? Para as ocasiões os amigos são como os feijões, juntinhos.
O Sr Relvas ao escrever o que escreveu soube posicionar-se: o PSD está em pré campanha eleitoral, sempre serviu o partido, agora para o continuar a servir inventou um livro para guindar Passos aos píncaros da propaganda pela ousadia do homem que ousava lutar e ousava vencer. É a família junta na ocasião de prestar serviços ou servicinhos.
domingos lopes

Anúncios

2 pensamentos sobre “RELVAS, DURÃO, e Cª EM REDOR DE UM LIVRO NUMA AÇÃO DE PROPAGANDA DO OUSAR LUTAR OUSAR VENCER

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s