EM BELÉM NO PRESÉPIO MORA A DÍVIDA

 

Não tem emenda. Sofre de enfermidades apontadas pelo Papa Francisco, sobretudo duas delas: os que ocupando altos cargos se julgam únicos e os que protegem os interesses de um círculo fechado.

Do alto da sua magreza intelectual e do seu devoto apoio ao governo manifestou o seu apreço pelo quão difícil é governar, sem uma palavra para os governados.

Os votos do homem vão para os de cima; os de baixo que se amolem pois vão ter de aguentar mais uns anos de sacrifícios.

Os de cima deverão impor essa austeridade sem fim à vista e os de baixo agradecer-lhes essa responsabilidade.

É que o homem acha que a credibilidade de Portugal vem do que os mercados considerarem ser bom para eles.

E como não se pode adorar dois deuses, como diria Francisco, o Papa, ele escolheu o deus dos de cima, os do mercado.

Este homem para além de um conjunto notável de lugares comuns que rivalizam com o Tomás acha que as decisões devem ser tomadas com conhecimento de causa … brilhante!

Passos, Portas e M. Luís Albuquerque podem passar o Natal descansadinhos: em Belém no presépio não estará o menino Jesus. Em sua substituição estará para que ninguém se esqueça a dívida aos credores (aos mercadores que ele, o menino, expulsou do Templo). A ela se deverá adorar! Ah …e pagá-la.

Domingos Lopes

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s