Corrida às armas – caminho do inferno

É em tempo de guerra que se deve falar da paz pela simples razão de que é nesta ocasião que ela mais falta faz. A paz é o supremo bem da Humanidade. Só em paz podemos ser o que somos.

A Rússia iniciou a invasão da Ucrânia e é a responsável pela grave situação que vivemos. Nada justificava a invasão, independentemente do projeto de cerco à Rússia por parte dos EUA e da NATO.

A guerra está a servir de pretexto para desencadear uma corrida às armas; ouve-se o rufar dos tambores da guerra.  O que a economia não aguentava como por exemplo pequenos aumentos de salários acomoda agora 2% do PIB. Até a poderosa Alemanha se virou para a corrida às armas, coisa nunca vista desde o fim da 2ª guerra mundial. A procissão vai no adro, mas quer na Rússia, quer nos EUA, quer na Europa as trombetas da corrida às armas soam por todo o lado.

Se os tempos da crise financeira seguida da pandemia eram difíceis, os de agora são de pavor e choque como no Iraque e agora na Ucrânia. Putin, talvez devido ao seu passado, designou a guerra como operação militar especial, um eufemismo brutal. De facto, então no céu iraquiano, como hoje no céu ucraniano chove a morte e a destruição.

A pergunta é simples: devemos correr às armas para nos defendermos ou o caminho deve ser outro, como por exemplo o assinalado pelo Papa Francisco?

O planeta e a Humanidade estão à beira do precipício. Na nossa Terra há armas para fazer sobreviver apenas alguns insetos no caso de conflito nuclear; a Humanidade desapareceria, a espécie criadora de deuses e de outras tantas maravilhas e que forjou a civilização de que desfrutamos.

No mar navegam submarinos carregados de armas nucleares apontadas aos homens e mulheres das cidades do mundo; nos céus azuis aviões furtivos ou não voam prenhes de armas nucleares; no solo milhares de rampas de lançamento estão prontas a enviar a morte a milhares de graus centígrados. Então precisamos de juntar mais armas a esta quantidade monumental bastante para nos reduzir a zero?

O mundo mais do que nunca precisa que a paz se imponha e se pare o horror na Ucrânia e se caminhe no sentido do desarmamento.

É nesta hora que as vozes das mulheres e dos homens justos e amantes da paz se têm de fazer ouvir para exigir o fim da guerra, obrigar a máquina de guerra de Putin a parar e a retirar-se para a Rússia e a criar condições de segurança para todos os envolvidos, a obrigar os países da NATO a parar de se rearmar e encetar negociações pela paz. Cada arma nuclear custa mais que um hospital. Mais que uma Universidade. Que se pare com a loucura da corrida às armas a Norte, Sul, Ocidente e Oriente. O Planeta está intoxicado e a Humanidade ao rés do abismo. Pensemos. Não deixemos que seja este o rumo. É possível outro. Quem pesará mais no futuro- o complexo militar industrial ou a força da paz?

No continente europeu é possível e é altamente aconselhável que a corrida às armas seja substituída pelo desarmamento. É preciso definir essas condições e garantir a todos desde os escandinavos aos eslavos, aos meridionais, aos ibéricos, aos habitantes dos países balcânicos, aos teutónicos, aos anglo-saxões, aos magiares, a todos sem nenhuma exceção a segurança. Uma paz que assente em cima de armas nucleares é sempre frágil. Não se encontra uma paz melhor que a que repouse sobre o mínimo armamento possível.

Para tanto torna-se absolutamente vital o empenho dos mais interessados neste rumo-os povos; sem eles é impossível.

Todos os caminhos desde o Vaticano até aos gabinetes ministeriais passando pelas avenidas cheias de gente são válidos. A paz merece o esforço. Com a mobilização popular de toda a gente de bem que não quer assistir à destruição em horas de tudo quanto a Humanidade construiu desde há milénios. A corrida às armas é o caminho do inferno. Vale a pena o difícil caminho da paz.

https://www.publico.pt/2022/03/28/opiniao/opiniao/corrida-armas-caminho-inferno-2000403

Um pensamento sobre “Corrida às armas – caminho do inferno

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s