As alfurjas do Chega

 

Quem se atreveria a imaginar que o capitão Bolsonaro, vinte anos deputado, encostado à dolce vita parlamentar brasileira, sem qualquer relevo a não ser pelo recalcitrante apoio à ditadura militar, pudesse vir a ser Presidente de um dos maiores países do mundo? O seu currículo resumia-se a defender os piores crimes da ditadura de modo grosseiro e banal, um cavernícola nunca levado a sério no que toca a ser eleito Presidente. Não passava de um capitãozeco extravagante de segunda ordem.

Mais ao Norte, naquele mesmo continente, quem imaginaria os EUA serem dirigidos por um magnata da construção civil que trazia consigo um lastro de corrupção, negocismo, de fuga aos impostos, supremacismo branco, homofobia, racismo e a mais completa incompetência para o cargo? Quem imaginaria esta personagem dos reallity show Presidente do país de Lincoln? Quem poderia imaginar esta personagem a receitar cloroquina para atacar o coronavírus, depois de aconselhar lixívia? Sim, é verdade, não é realismo fantástico, a cruel realidade vinda dos EUA…

A História a todos surpreende pelo seu elevado grau de imprevisibilidade; os fenómenos não são todos determinados pelos mais estudiosos, e nem por isso o mundo deixa de ser o que é – a anormalidade que de repente se normaliza.

Vale a pena fazer esta pergunta: Houve ou não um olhar benevolente para estes dois homens, sempre encarados como outsiders? Foi feito o que devia ser feito para o impedir?

Até certa altura o seu extremismo era tão evidente que por esse facto pensava-se que seriam barrados pelo apego democrático às instituições das populações de ambos os países.

Pois é, mas não foi. Quando se ouvem inúmeras vozes de democratas a defenderem que se não dê combate a André Ventura porque daí resulta a sua valorização e importância, vale a pena refletir com base na experiência de outras situações similares.

A eleição de Bolsonaro é a esse respeito elucidativa. E a de Trump também. Ambas subavaliadas quanto às suas possibilidades.

Em todos os povos há classes parasitárias e largas camadas sociais que se deixam atrair pelo oportunismo imediatista, pela promessa de autoridade que resolva problemas graves, pelo nacionalismo cego, pela violência contra as minorias, por homens assumidos como providenciais que dizem o que se diz no café ao contrário dos políticos que se entendem fora do parlamento para se governarem, e o rol é vasto. Sabemos que Salazar e Caetano se aguentaram 48 anos…é caso para pensar. A autoridade ditatorial a impor-se a um povo conformado, salvo honrosas e extraordinárias exceções.

Quando Ventura propõe a deportação de Joacine, o confinamento dos ciganos, o regresso à cadeia de todos os presos libertados, a castração dos pedófilos, o aumento das penas de prisão, e quando propala mentiras evidentes sobre o que Catarina Martins não disse, quando destila ódio contra o 25 de Abril e incensa a relogiosidade, poderá haver dúvidas que os antifascistas devem combater com serenidade, lucidez e inteligência este político que se tornou graças ao futebol e à CMTV/Correio da Manhã conhecido e seguido por franjas da sociedade portuguesa?

Poderá haver qualquer dúvida sobre o extraordinário trabalho do jornalista Manuel Carvalho acerca dos meandros do Chega e do seu mundo que o sustenta e que trouxe à luz do dia as alfurjas tenebrosas do Chega?

Caminhamos para dias muito difíceis com desemprego a níveis assustadores, com miséria e fome e uma U.E. nas encolhas e com um governo a esquecer-se dos que vivem muito mal, arrombando a Segurança Social para que as grandes empresas beneficiem dos descontos de que trabalhou e descontou.

Neste terreno medram os profetas evangélicos e outros, os adoradores do autoritarismo, os seguidores do mais boçal primarismo, os vendedores do divisionismo, os que se agacham na democracia para a morderem. Haja quem os combata desmitificando e esclarecendo as virtudes da vida democrática e das suas instituições. Que ninguém subestime a bestialidade e que não se deixem surpreender.

https://www.publico.pt/2020/05/29/opiniao/opiniao/alfurjas-chega-1918531

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s