DÉFICE EXCESSIVO POR FALTA DE VERGONHA ESTRUTURAL

Houve um tempo (aliás recente) em que uns tantos cavalheiros e umas tantas damas do alto do poder diabolizaram a vida dos portugueses semeando pobreza e tornando os ricos mais ricos. Prometeram que a vida nunca mais seria como dantes e que as populações tinham vivido acima das possibilidades e deveriam pagar no purgatório terrestre a desgraça de não se saberem governar.

Antes da chegada destas damas e destes cavalheiros ao poder, as cidades, as vilas e até aldeias estavam cheias de televisões, painéis a convidar os portugueses a gastarem o mês que ainda não tinham recebido e a pagarem em “éne” prestações o último eletrodoméstico, o telemóvel e as férias nas Caraíbas. Foram muitos os que confiaram nos paraísos anunciados.

(Continuar a ler no Público Online)

Anúncios

2 thoughts on “DÉFICE EXCESSIVO POR FALTA DE VERGONHA ESTRUTURAL

  1. Comentário referente ao texto “Défice excessivo por falta de vergonha estrutural”
    Domingos Lopes,
    Se me permite, duas correcções do mesmo erro:
    1. Onde escreve: “E anunciava tristeza pela CGTP não fazer manifestações, ficando por explicar por que razão as não fazia o PSD”, deveria escrever “E anunciava tristeza por a CGTP não fazer manifestações, ficando por explicar por que razão as não fazia o PSD”,
    2. Onde escreve: “passou todo este tempo a apontar o caminho da desgraça pelo Governo de Costa estar a desmantelar o que Passos tinha feito”, deveria escrever: “passou todo este tempo a apontar o caminho da desgraça por o Governo de Costa estar a desmantelar o que Passos tinha feito”.
    E assim sempre que, a seguir à preposição (neste caso, “por”, mas pode ser outra, por exemplo: “o facto de o actual governo ter revertido medidas do anterior”) há um verbo no infinitivo de que o sintagma nominal é sujeito: “a CGTP não fazer…”, “o Governo de Costa estar a desmantelar…”, “o actual governo ter revertido…”, etc.
    Gosto de o ler, concordo, geralmente, com o que escreve, mas é frequente encontrar nos seus textos pequenas asperezas sintácticas.
    Cumprimentos.
    P.S. Se discordar da minha correcção, não deixe de mo dizer.

    Gostar

    1. Meu caro Fernando Martins

      Não só concordo, como agradeço. Tem toda a razão. Vou estar mais atento. Sempre que se der ao trabalho de ler os meus textos e encontrar erros ou asperezas tenha a bondade de me assinalar.
      Muito obrigado
      Melhores cumprimentos

      domingos lopes

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s