Os Destrambelhados das Eleições

O que é em termos constitucionais e parlamentares (é no parlamento que se aprovam governos) o partido mais votado?

É o partido que o PR poderá indigitar para formar governo…Porém sabendo-se que o partido mais votado prometeu governar com o seu parceiro e se ambos não só tiverem maioria na AR , como perderam quase setecentos e quarenta mil votos manda a mais elementar regra de prudência e respeito pela vontade popular que se possam encarar outras soluções.

Em democracia por muito que custe a certos “democratas” as maiorias ou minorias formam-se na AR e não nas televisões ou nos jornais.

Se os deputados de éne partidos convergirem para formar um governo é a democracia a funcionar em pleno. Foi o que o povo decidiu.

O morador de Belém, o que sabe tudo, pediu uma maioria absoluta. O povo virou-lhe as costas.

O morador de São Bento esfarrapou-se a pedir a tal maioria que lhe permitiria fazer o contrário do que prometeu. Foi o que se viu.

António Costa não se fez rogado e pediu o mesmo. Ficou em segundo lugar. Pode ser que compreenda que um voto é útil ou não de acordo com a opção de quem vota.

Se fossem apenas úteis os votos no tal famigerado arco da governação o país era governado sempre pelos mesmos, seria uma coutada (tem sido) destes predadores e a vida política seria usurpada pelos donos da política que se governa.

Os resultados eleitorais para os grandes ilusionistas foram uma coisa no Domingo à noite e outra coisa na Segunda de manhã.

Os canais televisivos estão inundados ad nauseam de especialistas na arte de defender o status quo que não pode mudar; está-se mesmo a ver o porquê.

Há um que como político foi sempre um derrotado, mas a opinar é uma maravilha, sobretudo quando o comentário lhe vai permitir chegar a terreiro em circunstâncias que nunca nenhum político teve. É um homem acima de todos os outros, na televisão…

Os outros na sua esmagadora maioria são escolhidos para abençoar a ladainha oficial do género: vivemos acima das nossas possibilidades, estamos a recuperar, vem aí o crescimento, o que eles querem é a desgraça do país, o despesismo tem de acabar…Entra um e sai outro, sai um entra outro…a musica sempre do mesmo lado.

No fundo estão de tal modo fechado no seu mundo de ilusionistas que não conseguem sair dele.

Não conseguem por exemplo fazer este raciocínio simples, próprio de uma criança da segunda classe: os votos do PS, mais os votos da CDU, mais os votos do BE são suficientes para formar um governo e os votos do PSD e os do CDS não chegam.

Ficam aterrados com esta possibilidade. Destrambelhados. Insurgentes. Ameaçadores. Convocam a troika. Bruxelas. O quartel geral da NATO. O euro. O BCE. Até a mentira ao ser alegado que o PCP nunca esteve no governo. O disparate ou a perfídia?

O PCP esteve no governo e naquela altura nunca colocou a saída de Portugal da NATO, eram os EUA que davam sinais de chantagear Portugal por causa desse tema.

Na Itália de Aldo Moro e Berlinguer  em que a DC tinha pouco mais de dois por cento de votos que o PCI( ambos na casa dos trinta porcento) era o PSI de Betino Craxi quem era chamado a formar governo e indigitado para Primeiro-Ministro e tinha cerca de oito a dez por cento. Na Finlândia o chefe do governo não pertence ao partido mais votado.

Não se sabe o que vai acontecer nas próximas reuniões entre o PS e os outros partidos; o que é certo é o seguinte: há uma maioria de partidos que na campanha eleitoral se opôs à austeridade levada a cabo pelo PSD e CDS.

Apesar do poder mediático perderam a maioria e quase setecentos e quarenta mil votos. O facto de o PSD ficar à frente do CDS não pode esconder o desastre do CDS e da coligação. Esta realidade não é uma ficção, existe, é assim, tal e qual, por mais que esperneiem.

Seria uma traição aos resultados eleitorais o PS mudar de campo e passar para o campo governamental.

Num país de medos gerados pelo poder e ampliados pelos canais televisivos envelopados na mais requintada estupidificação, seguindo o velho comando do império romano – pão e circo, mais futebol, mais telenovelas e mais uns tantos concursos a ver quem é mais capaz de coisas alarves, os donos da verdade sem contraditório estão em estado de choque só de vislumbrarem que o que nunca deveria acontecer pode vir a acontecer.

Nem sequer são capazes de compreender que se vier a acontecer uma nova maioria é na casa da democracia, na Assembleia da República, onde pelo se atordoamento não logram reconhecer que é a mais das naturais consequências das eleições.

Anda um espetro a percorrer os caminhos de Portugal. A democracia a funcionar. O seu funcionamento deixa em mal estado alguns dos espíritos dos mais “famosos” das nossas televisões e jornais. Que lhes passe a enfermidade.

Anúncios

Um pensamento sobre “Os Destrambelhados das Eleições

  1. José Firmino de Caires

    Acho que o PS deveria aproveitar a oportunidade e formar um Governo de Esquerda , penso que a Catarina e a Mariana são as Pessoas mais indicadas para Governar este País neste momento e aproveitar para fazer justiça começando pelas regalias dos Políticos e resolver a situação dos Corruptos mas não só com Cadeia é necessário lhes confiscar o que não lhes Pertence , a reforma dos Políticos tem de ser na idade do Povo e o Ordenado igual ao que já tinham porque apenas mudaram de emprego , aí veremos quantos se Apresentam para Políticos

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s