FRANCISCO AS PALAVRAS, A FRASE E O SENTIDO DA VIDA

As palavras são a alma das frases. São o fermento que leveda o sentido e a ponte entre os que as escutam.

Há frases que nos fazem pensar, outras tão belas que nos deleitam, outras ainda que são raios  de luz que deviam obrigar a pensar.

Um novo deus, dono dos dinheiros do mundo, implacável para com os sem dinheiro, veio proclamar urbi et orbe a boa nova com os seguintes mandamentos, entre outros: esmagar o próximo, teu concorrente; praticar tudo o que for necessário para atingir o vértice do poder; dominar o sistema económico. Se assim fizeres dominarás o mundo, as bolsas andarão a teu mando; os governos obedecer-te-ão; o planeta não bastará para ti e os da tua estirpe…

Este é de lés a lés do mundo o comando que parece invencível na sua escalada de domínio.

Já não são só os indivíduos programados para a (im)potência e alienados com o individualismo que vão baixando os braços; os próprios Estados outrora soberanos, são apertados no torniquete do poder económico e ameaçados no mercado de capitais impondo-lhes juros usurários que tornam impossível obter crédito.

Este poder diabólico precisa de quadros, de gente capaz de executar o programado, de governos fieis, dos que merecem a honra de comer à mesa dos Senhores da Terra.

Admitem os irrevogáveis, os imperfeitos, os que não erram, nem leem jornais, os semeadores de ilusões…E outros.

Todos eles, na hora da verdade, receberão a recompensa, por, à custa do sofrimento da imensa maioria, ter tornado ainda mais rica a ínfima minoria, mais dona-de-tudo-isto.

Neste mundo, quando alguém, do alto das suas tão elevadas funções, diz…”Esta é a tirania de um sistema económico que põe o deus dinheiro no centro, e não as pessoas…” assinala uma grande verdade.

Dá um abanão. Agita as águas no sentido bíblico. Convoca a indignação. Traz à memória a revolta dos escravos. Enfrenta o Império. Torna-nos irmãos na nossa humanidade contra a desumanidade.

A frase assume um conjunto de pressupostos que têm em vista a realização da justiça e a dignificação das pessoas.

A classificação por parte do Papa Francisco do atual sistema económico convoca o povo católico a seguir o exemplo do seu chefe no sentido de colocar as pessoas no centro e não o deus dinheiro.

Mas não só. Esta coragem, este murro de força intelectual, transmite-se a todos os homens e mulheres sedentos de justiça.

Se houver a coragem que Francisco revela, se os que o dizem seguir forem dignos do caminho, se os impostores que adoram o deus dinheiro, forem descobertos, se os não crentes fizerem ombro na grandeza humana com Francisco, então todos seremos capazes de construir um mundo melhor, sem tiranias.

domingos lopes

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s